Curiosidade às vezes é uma dádiva. Estava o autor sem fazer nada num domingo de convidativa insônia quando ele se depara com um quadrinho na tela do Netflix exibindo o rosto atônito de um homem de aparência Indiana na frente de uma paisagem amarela. Decidi que não sabia o que o rapaz tinha pra dizer, mas me pareceu que, se alguém podia me ajudar a dormir, era ele.

MININO MAS COMO EU TAVA ERRADO. Hasan Minhaj, em seu primeiro especial do Netflix  “Hasan Minhaj, Homecoming King”, o comediante de 31 anos apresenta uma mescla de comentário social e desabafo pessoal que vai da comoção às gargalhadas com leveza e sem trancos. O fundo disso reside no uso inteligente que o comediante faz de seu próprio histórico pessoal: indo americano, muçulmano e residente em Davis,  uma cidade de população majoritariamente branca na ensolarada Califórnia.

Assim, Hasan nos conduz pela sua vida e por todos os percalços de não pertencer. Ele não pertence à mesma geração que o pai, não pertence à mesma etnia que seus colegas de escola, não pertence à mesma nacionalidade que a irmã e mesmo na Índia ele não pertence à maior religião praticada no país, que é o Hinduísmo. Trancado do lado de fora de todos os marcadores de identidade à sua volta, Hasan precisa construir sua própria identidade através de negações. no caso específico dele, como veremos,  NEGAÇÕES DE NEGAÇÕES.

Resumindo e recomendando, a 1 hora que você vai passar com Hasan vai ser uma ótima hora. Vai te dar motivos pra rir e pra pensar, provavelmente ao mesmo tempo.  Vá ver e me diga como foi!

Comentários Facebook